Cacilda
 

O Grande Inquisidor

Texto Fiodor Dostoievski

Direção Rubens Rusche

Atores Celso Frateschi e Mauro Schames

Teatro Ágora - SP

Sextas e Sábados 21h30 Domingos 20h

Escrito por Lenise Pinheiro às 11h04

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Policarpo Quaresma

Vi "Policarpo Quaresma" na estreia, duas semanas atrás, em meio à expectativa de que José Serra, pré-candidato a presidente pelo PSDB, iria aparecer, como teria prometido. Ele não foi, afinal, mas estava lá, de alguma maneira, no palco.

É o espetáculo mais marcadamente político, de intervenção imediata, que Antunes Filho já produziu, entre os que pude ver. É um ataque sem quartel ao patriotismo, como identificado por Lima Barreto no marechal Floriano Peixoto, há um século, e transportado na adaptação para, supõe-se, Lula.

Causa uma sempre saudável instabilidade nos pendores nacionalistas do público _como no meu caso_ mas não vai muito além daí. Em engajamento do espectador, até pelas vísceras, chega com atraso de cinco anos e com impacto menor do que "Os 120 Dias de Sodoma" de Rodolfo García Vázquez.

O Antunes autor de "Lamartine Babo", também em cartaz no Sesc Consolação, consegue provocar um estranhamento maior, com seu Silveirinha que idolatra de modo doentio as músicas de Lamartine. Em "Policarpo Quaresma", o Antunes adaptador e encenador amplia a dosagem e o efeito é diluído.

A frustração é maior com a encenação. Com seu "Macunaíma" de três décadas atrás, adaptado do romance de tema próximo, o diretor ajudou a estabelecer no Brasil o "teatro teatral", como diria seu mestre Ruggero Jacobbi, ou "pós-dramático", com a primazia da cena sobre o texto.

Agora a cena está cansada e precisa se agarrar ao enredo adaptado para chegar até o fim, com os mesmos cortejos. Não se percebe também o frescor dos intérpretes das últimas montagens do CPT/Sesc. O elenco não se revela como, ainda outro dia, na comédia verdadeiramente popular de "A Falecida Vapt-Vupt".

Com todos os seus problemas, o musical "Lamartine" e sua dramaturgia lançam um olhar para o futuro, abrem trilhas estéticas que prometem mais inovação para um criador como Antunes Filho, em contraste com este "Policarpo" preso ao passado.

Escrito por Nelson de Sá às 16h46

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A Hora em que não sabíamos nada uns dos outros

Texto Peter Handke

Tradução  Christine Röhrig

Direção Marcelo Lazzaratto

Companhia Elevador Panorâmico

Atores Ademir Emboava, Carolina Fabri, Gabriel Miziara, Juliana Pinho,

Marina Vieira, Pedro Haddad, Rodrigo Spina, Carolina Caetano,

Guto Nogueira, Maria Laura Nogueira, Carla Kinzo, Daniela Alves,

Joao Gabriel Manetti, Lucas Horita, Mauricio Schneider e Rita Gullo

Trilha Sonora OriginalFernando Mastrocolla. 

Iluminação Wagner Freire. 

Figurinos Mariana Calazans.

Parque da Luz - Bosque da Leitura - SP

Quintas e Sextas às 16h

Sábados e Domingos 16h e 19h30

Escrito por Lenise Pinheiro às 11h46

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Lenise PinheiroO blog Cacilda é coordenado por Nelson de Sá, articulista da Folha, e pela repórter-fotográfica Lenise Pinheiro.

SITES RELACIONADOS

RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha Online. Todos os direitos reservados. ɉ proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha Online.